26 janeiro 2007

As funções dos presbíteros

As funções atribuídas aos presbíteros aqui descritas não são exaustivas. Elas mencionam o que o presbítero deve ser e fazer, mas ele não pode se limitar a elas. Todos os presbíteros devem exercer o seu ofício em conformidade com a diversidade dos dons de cada um, e discernindo segundo a necessidade da Igreja. A vitalidade da igreja muito depende da operosidade dos presbíteros.

Uma palavra grega usada para se referir ao ofício de presbítero é episcopos. Sabemos que “o uso no N.T., em referência aos líderes, parece ser menos técnica do que uma tradução como ‘bispo’ sugeriria; daí, superintendente, ou supervisor At 20:28; Fp 1:1; 1 Tm 3:2; Tt 1:7.”[1] O presbítero tem a responsabilidade de supervisionar a igreja que o escolheu para ser o seu líder. Louis Berkhof afirma que “claramente se vê que estes oficiais detinham a superintendência do rebanho que fora entregue aos seus cuidados. Eles tinham que abastecê-lo, governá-lo e protegê-lo, como sendo a própria família de Deus.”[2]

A responsabilidade dos presbíteros de supervisão não se limita aos membros da igreja. Os presbíteros devem supervisionar o seu pastor. R.B. Kuiper observa que "um dos seus mais solenes deveres é vigiar a vida e o trabalho do pastor. Se o pastor não leva uma vida exemplar os presbíteros regentes da igreja devem chamar-lhe a atenção, e corrigi-lo. Se não é tão diligente em sua obra pastoral como deveria sê-lo, devem estimulá-lo para que tenha maior zelo. Se a falta de paixão que deve caracterizar a pregação da Palavra de Deus, os presbíteros regentes devem dar os passos necessários para ajudá-lo a superar tal defeito. E, se a pregação do pastor, em qualquer assunto de maior ou menor importância, não está de acordo com a Escritura, os presbíteros não devem descansar até que o mal tenha sido resolvido." [3] Entretanto, os presbíteros devem oferecer liberdade e recursos para que o seu pastor desenvolva-se e possa oferecer mais ao rebanho.

A autoridade do presbítero
A autoridade dos governadores é puramente ministerial e declarativa. Cada função do Conselho, como o ensino, a admoestação, governo e o exercício da disciplina, devem fundamentar-se na Palavra de Deus. Os presbíteros não possuem autoridade inerente. Não possuem o direito de impor as suas opiniões pessoais, preferências, filosofias sobre o culto, a doutrina, ou o governo da igreja, antes, devem examinar e extrair das Escrituras os padrões e princípios estabelecidos por Deus.

A autoridade do presbítero procede de:
1. A autoridade de Cristo como cabeça da Igreja.
2. Submissão à Cristo como o Senhor da Igreja.
3. A obediência e fidelidade à Escritura Sagrada como única regra de fé e prática.
4. Uma vida de santidade pessoal e familiar.
5. O exercício responsável da sua vocação e dos seus dons segundo o seu chamado.

As funções pastorais
1. Visitar os membros menos assíduos às reuniões da igreja;
2. Resolver os desentendimentos entre os membros;
3. Instar os disciplinados ao sincero arrependimento;
4. Orar por/com todas as famílias da igreja;
5. Consolar os aflitos e necessitados;
6. Supervisionar o bom andamento das atividades da igreja;
7. Exortar aos pais que tragam os seus filhos ao batismo;
8. Ser um pacificador em assuntos controversos;
9. Lembrar aos membros da sua fidelidade com os dízimos e ofertas;
10. Dar assistência e/ou liderar as congregações (quando houver);
11. Auxiliar na distribuição da Ceia do Senhor.

As funções doutrinárias
Os presbíteros em nosso sistema de governo têm a responsabilidade de guardarem a doutrina da corrupção. (1 Tm 3:16; Tt 2:7-8). Entretanto, para isto é necessário:
1. Conhecer o sistema e doutrinas presbiterianas;
2. Zelar pela fidelidade e pureza doutrinária da igreja;
3. Avaliar a qualificação doutrinária do pastor;
4. Examinar os candidatos ao rol de membros da igreja;
5. Discernir os novos “movimentos” que os membros estejam se envolvendo;

As funções administrativas (indivíduo)
1. Representar as necessidades dos membros nas reuniões do Conselho;
2. Zelar para que as decisões do Conselho sejam cumpridas pela igreja;
3. Lembrar os membros dos seus deveres e privilégios;
4. Acompanhar o funcionamento das sociedades e ministérios da igreja;
5. Elaborar propostas e projetos para a edificação da igreja.

As funções administrativas (concílio)
1. Reunir periodicamente para decidir sobre o bem estar da igreja;
2. Divulgar na igreja local as decisões dos concílios superiores (presbitérios, sínodo, SC);
3. Avaliar candidatos ao batismo e profissão de fé;
4. Participar na aplicação da disciplina bíblica para que atinja a sua finalidade;
5. Analisar se a Junta Diaconal está realizando as suas atribuições;
6. Acompanhar o bom andamento das sociedades internas e ministérios da igreja;
7. Avaliar para o envio ao presbitério os candidatos ao sagrado ministério pastoral;
8. Participar da ordenação e instalação de novos pastores e presbíteros;
9. Representar a igreja local nos concílios superiores.

Notas:
[1] F. Wilbur Gingrich & F.W. Danker, Léxico do N.T. Grego/Português (São Paulo, Ed. Vida Nova, 1993), p. 83.
[2] Louis Berkhof, Teologia Sistemática (Campinas, LPC, 1990), p. 590.
[3] R.B. Kuiper, El Cuerpo Glorioso de Cristo (Michigan, T.E.L.L., 1985), p. 132.

Rev. Ewerton B. Tokashiki

18 comentários:

Igreja Assembléia de Deus - Setor 44 disse...

Um presbítero pode dar a benção apostolica o final do Culto. Ele pode celebrar casamentos?

Ewerton B. Tokashiki disse...

Amados irmãos

Este assunto é uma questão denominacional. Por exemplo, na Igreja Presbiteriana do Brasil e a Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil somente os pastores são autorizados a pronunciar a benção apostólica no término do culto. Mas, isto é uma questão que vem de cima e não há nada biblicamente que impeça que o presbítero o faça. Todavia, por causa do princípio de submissão à autoridade dos superiores obedecemos o que é decidido.

Quanto ao casamento devemos lembrar que ele não é sacramento. A Igreja Católica tem o casamento entre um dos seus sete sacramentos, por isso apenas um "sacerdote" é autorizado a realizá-lo. Todavia, isto está baseado num princípio doutrinário errado! Mas, é possível que existam denominações que proíbam que presbíteros realizem a celebração religiosa do casamento pelo mesmo motivo que não podem pronunciar a benção apostólica. Por exemplo, a IPB autoriza que seus presbíteros realizem a cerimônia religiosa, mas não podem impetrar a benção apostólica no fim.

gelson disse...

infelismente os presbiteros estão sendo proibidos de ezerce sua função na minha igreja só quem ensina é os pastores muitas vezes os presbiteros são chamados a atenção por fazer aquilo que DEUS o desiguinou o que fazer me sinto muitas vezes inutil DEUS me revela mensagens que se eu pregar sou muitas vezes chamado a atenção sou da igreja assembléia de DEUS.

PASTOR LEONARDO disse...

APAZ DO SENHOR JESUS GOSTARIA DE SABER SE AO CONSAGRAR ALGEM AO CARGO DE PRESBITERO A ESPOSA PODE SER CONSAGRADA A DIACONIZA OU TEM QUE SER A MISSIONARIS

Ewerton B. Tokashiki disse...

Amado companheiro de ministério Pr Leonardo

Parece-me que a sua pergunta tem dois caminhos de resposta. Primeiro seria definirmos a questão da ordenação feminina; mas como o espaço da resposta é pequena e existem tantos excelentes livros sobre o assunto recomendo, pelo menos a leitura do artigo http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_II__1997__1/ordenacao....pdf .

Creio que a ordenação para o presbiterato, ou ministério pastoral e ou qualquer outro, não obriga a igreja aceitar a ordenação da esposa. Não vejo nenhuma recomendação ou exemplo bíblico desta prática. A Escritura ordena que a esposa seja auxiliadora, e para isto, ela não necessita ser ordenada, mas virtuosa!

Anônimo disse...

...Aliás, gostaria de saber se quém pastoreava a Igreja na Época do Apóstolo Paulo se eram os Presbíteros ou os Pastores, pois encontramos o Apóstolo Pedro dando instruções aos Presbíteros para pastorearem a Igreja, não como se tivesse domínio sobre ela...

Ewerton B. Tokashiki disse...

No século I, quando ainda existiam os verdadeiros e originais apóstolos eles ao lado dos presbíteros governavam a Igreja (At 15:6-23). Eles sabiam que deixariam de existir e que continuariam os presbíteros regendo a Igreja de Cristo (At 20).

Anônimo disse...

SOU PASTORA E AS VEZES ME PERGUNTO SOBRE A ORDENAÇÃO DE MULHERES AO MINISTÉRIO, PORQUE TENHO A IMPRESSÃO DE QUE O MINISTÉRIO FEMININO MUITAS VEZES É IGNORADO, SABEMOS Q TEMOS Q SER AUXILIADORA, PORÉM DEUS RESERVOU COISAS MARAVILHOSAS DENTRO DO CORPO(IGREJA)PARA NÓS FAZERMOS, DESDE Q ME CONVERTI, PERCEBO ESSE MINISTÉRIO UM POUCO DISTANTE DA REALIDADE DE MUITAS IGREJAS. QUAL É A CONFUSÃO Q ESTAMOS FAZENDO????

Ewerton B. Tokashiki disse...

Senhora anônima

Não há indicação, prescrição, descrição ou sugestão de apóstola, episcopisa [e não bispa], pastora, presbítera, diaconisa no Novo Testamento. O NT fala que os dons são concedidos tanto a homens como a mulheres, ambos devem exercem os seus ministérios na Igreja de Cristo. Como não disponho de espaço aqui pra argumentar, indico a leitura de http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_II__1997__1/ordenacao....pdf

Deus abençoe a senhora.

Anônimo disse...

Caro Pastor! gostaria de saber mais sobre cada função ministerial na igreja: Pastor, presbiteros, diaconos,evangelistas etc.. Pode ajudar-me? Miss. Elias

Anônimo disse...

Sr. Ewerton B. Tokashiki, você disse que na Igreja Católica "apenas o sacerdote" é autorizado a realizar o matrimônio. Isto não é verdade! Na Igreja Católica podem realizar a cerimônia religiosa do matrimônio: os Bispos, os presbíteros (padres), os diáconos (inclusive os permanentes)e também os leigos (homens e mulheres)desde que estejam devidamente preparados para exercerem tal função e tenham autorização expressa do bispo diocesano da localidade onde residem.
Pe. Paulo Alexandre.Obrigado!

Anônimo disse...

Graça e paz. Gostaria de obter recomendações para as esposas de presbíteros.
Obrigada.

Welber Chaves disse...

Deus não e Deus de confusão não cosigo imaginar uma mulher gestante com oito meses em cima de um altar,realmente a bíblia não cita a respeito presbitera e apostola isto faz parte do evangelho da nova era Deus não está no meio disso.

G Sena disse...

Os presbíteros regentes da IPB, pode no exercício de sua função eclesiástica, concorrer e assumir o cargo/função remunerada de administrador de uma igreja presbiteriana local, acumulando ao mesmo tempo com o seu mandado do presbiterato?

Salomao Lima disse...

Profeta não pode fexa a boca. Si DEUS MANDA TEM QUE FAL ! Com sabedoria. A paz

Anônimo disse...

Mas tem pastora livro de genesis,a paz do Senhor

Unknown disse...

Amado Pastor, Shalon Adonai!
Gostei muito de seu estudo sobre o ministério dos Presbíteros, parabéns! Agora, gostaria que me esclarecesse seguinte dúvida: Qual a ordem eclesiástica quanto as funções ministeriais? Desde já agradeço a ajuda! Shalon Adonai!

Unknown disse...

Querido Pastor, Shalon Adonai!
Gostei muito de seu estudo sobre as funções dos Presbíteros e quero lhe parabenizar por isto! No entanto, gostaria de sua ajuda a me esclarecer uma dúvida: Qual a ordem eclesiástica quanto as funções ministeriais? Desde já lhe agradeço, pedindo a Deus que possa derramar sobre tua vida ministerial inúmeras bençãos. Shalon Adonai!