28 setembro 2016

Epidemia: outro pastor que se esgota e se demite Domingo passado

A dor de um pastor é intensificada debaixo de impiedosos holofotes, enquanto a dor de outro é desconhecida. Ambas doem igualmente. Não fica mais fácil. Não importa quantas vezes você ouça sobre isso. E estamos ouvindo muito sobre isso ultimamente. Em números epidêmicos.

Outro pastor anunciou à sua chocada congregação que ele não podia mais. Ele os amava. Ele estava orgulhoso do trabalho do Reino que haviam feito juntos por anos. Mas suas prioridades estavam desajustadas. Ele havia posto todo seu tempo e energia na igreja e havia negligenciado sua própria saúde espiritual e emocional. Ele pediu à congregação que orasse por ele e sua família enquanto enfrentavam a próxima fase difícil de suas vidas – sem saber o que esta fase traria. Então ele reuniu a congregação de 20 pessoas na frente da igreja para orarem juntos uma última vez. Ele por eles. Eles por ele e sua família. Oraram, abraçaram, choraram e disseram adeus.

Enquanto escrevo esse artigo, aquele pastor está encaixotando seus pertences numa van para se mudar da pequena cidade que eles chamaram de lar por mais de uma década. Por agora, eles vão viver com os pais da esposa para se recuperarem.

Muitos pastores esgotados

Infelizmente, aquele pastor não foi o único a ter uma história dessas no último domingo. Aconteceu com centenas. Este ano, milhares vão deixar o ministério, esgotados e machucados. De igrejas grandes e pequenas, em crescimento e estagnadas. Ouvimos quando os pastores famosos desistem ou se esgotam. É o preço da fama. E é muito alto. Tanto o sucesso quanto as falhas são ampliadas. Mas um preço diferente é pago por aqueles que não são conhecidos fora de suas famílias e pequena congregação.

Enquanto os sucessos e dores de pastores conhecidos são destacados, os sucessos e dores de pastores de igrejas pequenas são ignoradas e esquecidas. Ambos são igualmente machucados. Ambos carregam o peso dos problemas que os levaram a deixar a igreja, e frequentemente o ministério. A dor do pastor da megaigreja é intensificada por falhar debaixo das luzes da ribalta, enquanto que a dor do outro é aumentada por cair no anonimato. Esquecido por quase todos. Ambos os cenários são tóxicos. Eles entristecem o coração de Jesus, prejudicam Sua igreja, devastam com as famílias dos pastores, arruínam ministérios e tornam difícil aos membros da igreja confiar num pastor novamente - ou confiar em Deus novamente.

Mudar o paradigma de sucesso da igreja

Não precisa se desse jeito. Não deveria ser desse jeito. Precisamos abandonar as expectativas não bíblicas que foram colocadas nos ombros dos pastores. Ou que nós próprios colocamos nos nossos ombros. Pastores nunca foram destinados a carregar esse fardo tão grande. Nenhuma pessoa é capaz de ser pregador, professor, “lançador de visão”, CEO, líder, evangelista, ganhador de almas, angariador de recursos, conselheiro matrimonial, e todo esse modelo de virtude que esperamos que os pastores sejam – muitos deles enquanto trabalham a tempo inteiro fora das paredes da igreja. Mas tem sido assim por tantos anos que às vezes parece uma locomotiva sem freio que não pode ser parada. Precisa ser parada.

Redefinindo o sucesso no ministério

Ninguém pode parar essa locomotiva a não ser nós, pastores. Precisamos dizer “não”. Para alguns de nós, isso significa dizer não às expectativas irracionais dos nossos membros, diáconos e oficiais da denominação. Mas para todos nós significa dizer não às nossas próprias expectativas não bíblicas. Dizer não a um paradigma que nós construímos e perpetuamos em volta de uma combinação dos nossos egos e inseguranças. Nós não somos os construtores da igreja, Jesus é. Não somos capazes de nos matarmos de trabalhar emocionalmente e espiritualmente sem que alguma coisa quebre dentro de nós. Não podemos continuar nos forçando fisicamente com poucas horas de sono, muita comida e pouca atividade física. Não podemos continuar negligenciando nossas esposas e famílias enquanto queimamos a vela dos dois lados e não esperar que todo mundo – nossas famílias, igrejas e nós mesmos – pague um enorme preço por isso. Precisamos redefinir com que o sucesso ministerial se parece, porque muitas pessoas boas estão sendo machucadas enquanto perseguimos nossa atual e insuportável versão de sucesso.

Orem uns pelos outros

Faça uma pausa hoje. Respire. E ore. Ore pelos pastores feridos, conhecidos e desconhecidos, que deixaram uma igreja que eles amavam – e talvez ainda amem. Ore pelos pastores famosos sofrendo debaixo da insuportável luz da ribalta. Ore pelos pastores desconhecidos que se sentem perdidos e esquecidos. Ore pelas famílias que suportaram anos de dor em silêncio, e que agora têm suportado ainda mais. Ore pelos membros da igreja que não sabem se se sentem bravos, tristes ou outra coisa. Ore para que o Deus que prometeu que Seu jugo era suave e o seu fardo leve, alivie os fardos mais pesados que nós colocamos sobre nossos próprios ombros. E que troque por Sua paz, Seu conforto e Sua esperança."


Karl Vaters - Christianity Today
Extraído de http://www.christianitytoday.com/karl-vaters/2016/september/epidemic-another-pastor-burned-out-and-quit-last-sunday.html

24 comentários:

Edilson Rodrigues disse...

Uma realidade clara e velada.
A igreja de Cristo não é comércio , números ou resultado é graça, perdão, amor e salvação!!

missionario EU? disse...

Só há uma saída! Agir a partir de agora com as prioridades que a bíblia exige, como quem escapou de um enfarte, tudo precisa mudar. Disso depende a qualidade de vida e o ministério.

Ana Carolina Almeida disse...

Nossa!��

Pr. Carlos Eduardo disse...

Triste realidade de ambos os lados...
Só a graça divina pode nos permitir uma caminhada de mãos dadas. O amor, perdão, compaixão e misericórdia, devem se fazer presente neste casamento entre pastor e igreja.

Unknown disse...

Fico triste também, porque o pastor é também meu irmão em CRISTO JESUS!!!
Preciso me colocar como ovelha ajudar, interceder, valorizar, honrar a vida do pastor.

segurança essencial disse...

Os dogmas institualzam a noiva do cordeiro e engessam o Espírito Santo c fardos pesados desde sempre e travam td voltemos a oração e praticar a Bíblia c iluminação do Espirito Santo.

Marco Antônio disse...

Quando os pastores lerem a bíblia do jeito correto. Vão entender que ser pastor não ter um cargo...ou querer estar em cima. Ou ser o dono das pessoas. Esse clérigo inventado por homens. Inclusive as denominações exaltam o homem. Todos devendos ser pastores. Tutores e curadores.. não é um cargo ou título. Nem existe diploma ou certificado pra isso

rogerio amorim disse...

Fato é que muitos sao os pastores que querem ser o centro da igreja em tudo muitas vezes se tornando Antropocentricos

inacio pinto disse...

O Pr Paulo se Tarso mostra-nos claramente que não podemos pregar outro evangelho. O ministério é Chamada de Deus e não profissão; e é isso que muitos estão confundindo Chamada com Profissão, quem tem chamada não desistirá nunca porque tem a segurança de que o responsável pelo crescimento é Deus enquanto a parte dele é orar e cuidar da Palavra. Ao perder este foco muitos pastores se embrenham na floresta da administração, da procura de resultados de crescimento numérico esquecendo-se do Espiritual, competição de mega igrejas e cobrança dos membros por estrelas da música e do mercantilismo na oratória que enchem seus templos não em busca de Cristo ou arrependimento mas, buscam entretenimento e diversão em seus "SHOWS GOSPEL", que de evangelho não tem nada. Disse nosso irmão Paulo, este é outro evangelho. Enquanto ele dizia que se propunha a não pregar outro evangelho que não fosse a cruz de Cristo. Pensando como Paulo, estaremos buscando agradar a Deus e não aos homens, com este pensamento em mente nós jamais nos frustaremos se Deus nos colocar sobre 10 ou 1000 ou 10.000 mil, porque o Senhor só nos pedirá o que nos entregou!!! Servo bom e fiel, foste fiel no pouco, sobre muito te colocarei!!! Não percamos o foco, vamos fazer nossa parte que Deus.com certeza fará a Dele!!!

Valdete Heringer disse...

Triste realidade !!!

samuel rocha disse...

Estamos sempre orando pelos nossos queridos Pastores(verdadeiros),pois eles e suas tem sido alvos do inimigo.Uma vez ferindo o pastor, as ovelhas se deapersam.

Eliezer Ramos disse...

Tenho oportunidade de conviver com diversos tipos de pastores, Reverendos, Freis e Padres.
No meio evangélico tem muitos pastores preocupados em se aliar com homens, desprezando a ordem de Jesus que diz que devemos buscar as ovelhas perdidas da casa de Israel. Talvez essa inversão de motivação tem gerado, muito desânimo. Pois a despeito de tantas possibilidades de compartilhar esse Evangelho que visa atender a todos mas principalmente aqueles que precisam de compaixão.
Creio que só o retorno ao primeiro amor. Nos fará mais fortes e dispostos a caminhar e acima de tudo a busca da vontade de Deus é a base.
Não adianta ser ativista. E sim cumprir bem a missão. O mais Ele fará.
Eliézer Ramos

Pr. Jussy e Profa. Marilu disse...

É por causa de pessoas como você meu caro Marco Antônio é que muitos pastores estão desanimados e sofrem. Quem deu a você o direito de ser juiz? Será que você meu irmão não é um dos donos das igrejas locais.

Edson Goncalves disse...

Somente Cristo pode sustentar a Igreja que é sua Noiva...
Muitos PRS e Líderes se cansam pensando ser o MESSIAS para a Igreja...
A Igreja já tem um NOIVO e não somos nós...

Carlos Santos disse...

Vejo que a falta de valorização do trabalho pastoral pelas pessoas levam os pastores fazer mais do que precisam e muito mais do que Deus pediu. Seremos surpreendidos quando Deus nos disser " isto e aquilo, eu não te pedi para fazer". É preciso treinar as pessoas para enfrentar seus dilemas e não toma-los para nós e sermos salvadores delas. É preciso depender de Deus pois ele é o construtor e nós seus cooperadores e construir no modelo dele, não no nosso.

rita de cassia correa gomes disse...

Não acredito que a obra de Deus seja causa de frustração!! Quem tem direção do Espírito Santo sabe que nem tudo são flores. A Palavra já diz que no mundo terrenos aflições!!!! Se alguém frustrou não foi com Deus, foi com seu próprio coração!!! Deus é essencialmente bom e amável!!

Jonas Lima disse...

Já pararam pra pensar? Se uma ovelha chora todos concordam que ela está enferma e precisa ser amorosamente cuidada mas se um pastor chora dizem que ele quer chamar a atenção, julgam-no como fraco, questionam a veracidade do seu chamado, buscam substituí-lo por pastor que seja "melhor". Cito o assunto com profunda preocupação pois o Senhor, sendo o Bom Pastor, decidiu separar para sí servos que proclamem, apascentem, doutrinem, amem e vivam um testemunho fiel e digno, porém o rebanho confiado as esses servos muitas vezes não o reconhecem como enviado de Deus e tratam como serviçal da igreja e o resultado final é o que se vê por aí: Pastores em depressão, se afastando do ministério e alguns totalmente esgotados se suicidam. Que Deus traga despertamento sobre a igreja brasileira e tenha misericórdia de nossos pastores.

Marlus Moreira disse...

A triste realidade é que o humanismo tem assolado a igreja cristã e o perfil do obreiro e sua identidade tem se perdido ao longo do tempo. A igreja humanística tem dado dado tando respaldo às atividades e os pastores em vez de conduzir o rebanho, esquecem-se do principal! Seu envolvimento com o Senhor da obra! E fica acima disto o envolvimento com a obra do Senhor. Se priorizarmos nosso relacionamento com Deus, todas as outras coisas serão cuidadas por Deus. Perdemos o foco da dependência do Senhor e nos preocupamos(e isto é algo que é recomendado por Jesus que não tenhamos, preocupação) muito com o que eu devo fazer para o Senhor em detrimento sobre o que é que o Senhor quer que eu faça! Os pastores não tem aguentado, pois não priorizam Deus! Assim como muitas ovelhas! Não me tenham como uma pessoa dura, mas realista! Pois o alicerce é o Senhor e se a casa não aguenta é por que não tem alicerce. Eu vivi isto e quase sucumbi, mas o Senhor teve misericórdia de mim, pois me submeti à vontade dEle. Mérito meu? Não, do Senhor! "Tenham Deus como prioridade em suas vidas e Ele cuidará do futuro de vocês".(Mt. 6.33). Desistir não é uma opção! Pois Ele nunca desistirá de você ou de mim, ou ainda, do chamado dEle em nossas vidas! A chama que arde no seu peito, nunca apagará!

Zana Noivas disse...

Realmente esse tem sido a realidade de muitos ministérios.Pastores sobrecarregados. Pastores mal compreendidos e com pouca ajuda de seus liderados. Igrejas jogando nas costas dos pastores toda culpa de inúmeros pecados ocultos cometidos por membros que se acham superiores e tem agido com total falta de reverência. Precisamos orar por nossos pastores,precisamos aprender a ter misericórdia. Pois essa é a tarefa mais difícil. Pastores precisam ser amados e ajudados

Consertando as Redes disse...

Queridos colegas,nos pastores precisamos de "companheiros de lutas" Fp.2.25, não é possível caminhar sozinho, pela misericórdia e graça do Senhor, recebi discipulado e um companheiro de lutas, hoje estou caminhando com 8 a 10 colegas oferecendo e recebendo comunhão e ajuda, isso foi e tem sido de salvação para mim e minha família, sou feliz e permaneço no pastorado.Quero encoraja-los e forralece-los na graça e na fe que ha em Cristo Jesus. Meus contatos, josuemartins@uol.com.br , tel. (11) 984550394, (11) 44381993 - 44383940, Deus abençoe e fortaleca.seu coração, não fique e ande sozinho.

Unknown disse...

Antes de qualquer palavra, parabéns pela palavra escrita.
Vários problemas, não um problema.
Expectativa são criadas e de forma crescente vai tomando espaço.
Expectativa não chego hoje e amanhã ocupa um espaço.
Ser pastor, não é profissão, não é carreira, não é um lugar que ofereça visibilidade, não pode ser almejado por quem quer aparecer (em qualquer grau ou pensamento) etc, etc...
Ser pastor é antes de qualquer coisa um chamado para servir, e no caminho do pastorado, este como pastor adquire experiência e conhecimento em várias áreas humanas e técnicas, podendo usá-las sim, para o bem de seu rebanho. Todavia, eu pastor dito a forma e alcance de atuação.
Temos pastores que não sabem o porque estão ali, pastores acharam que era bom ser, pastores que pensaram ser o caminho do sucesso, pastores que até tem alguma coisa, porém, não suportam o peso do cajado etc, etc...
Pastor cansa, entristece, chora muito, é mutilado física, moral, socialmente...
Mas, pastor, recebe de Deus, a condição de carregar sua cruz e daqueles que dele dependem.
Sendo pastor chamado por Deus, terá armaduras, frutos, dons, ministérios ao seu dispor, que na caminhada em oração, irá aprendendo a usar e será socorrido pelo Espírito da Graça que nele faz morada.

HOo ;P LERDOoOo lerdo disse...

Meu nome é: Renato Alves Miranda, sou Pastor, casado 💑 e tenho dois filhos, querido Marcos Antônio, a realidade do Pastor assim como das ovelhas não é o fator Bíblia mas fico preocupado de você externar uma palavra muito dura para sua realidade e do Pastor, posso estar errado, mas nas suas palavras percebo uma profunda tristeza 😡, que quem ler é possível compreender a mesma coisa, mas perceba que a realidade vivida por você não é uma realidade padrão de Pastor, para todos os Pastores, isso parece mais uma decepção, mais o problema querido Marcos Antônio e Pastores, e que na disputa por quem ganha o discurso e, sai perdendo são as ovelhas que ficam sem pastor, ou quando um pastor é pego em adultério, é a família 👪 Igreja ⛪ e povo de Deus quem sofre. Mas pensemos quantos de nos já socorreremos esses pastores, famílias e Igrejas, quanto custa um pastor, uma família 👪,uma Igreja ⛪, o trauma é absorvido por todos. Então pergunto qual seria a nossa resposta? Digo que a mim o mínimo, que tenhamos o coração quebrantado para entender as questões e tratá-las com seriedade, responsabilidade e amor 💓

Joel Lopes Farias disse...

Esse texto traz minha realidade. Me vi no lugar desse pastor, estou muito perto dessa atitude, mas graças a Deus, e é Ele quem coloca histórias como essa diante de nós para refletirmos e pefir esse cuidado a Deus, assim darmos os passos seguintes de outra forma que não venhamos desistir, que Deus nos abençoe.

copipapel disse...

Sinto muito respeito pelos Pastores, e mais ainda por aqueles que além do ministério ainda trabalham para sustentar suas famílias e sua casa, por isso vou continuar a orar pelo meu pastor e sua família. Todos devemos fazer o mesmo porque sabemos que a família pastoral por estar em destaque é mais atacada que qualquer outro membro da igreja que não exerce cargo algum ou mesmo que exerça nunca é atacado tão fortemente como a família pastoral e especialmente o Pastor. devemos deixar o julgamento para Deus e o juízo para Deus, como diz a bíblia "quem não tiver pecado que atire a primeira pedra". Eu com certeza não vou atirar a primeira nem a segunda nem nenhuma, sei que sou pecadora e todos os dias tenho de pedir perdão, mas o Senhor me sustenta e me ama, e esse amor devemos dividi-lo e demonstra-lo aos nossos pastores, através das nossas orações e nossas atitudes na igreja ou fora dela, não permita que fofocas ou maledicências ofusquem a obra de Deus... que o Senhor Jesus tenha misericórdia de nós agora e para sempre, amem.