07 janeiro 2010

Resumo dos Princípios

Os parágrafos que seguem são das regras fundamentais do Southern Baptist Theological Seminary escritas em 30 de Abril de 1858: “9. Cada professor da Instituição deve ser membro regular de uma igreja Batista; e todo aquele que aceitar um professorado neste Seminário, se considerará por sua aceitação, como de acordo com, e nunca contrário ao Resumo dos Princípios que se expõe” (Mueller, History of Southern Seminary; Broadman Press, p. 238).

1. As Escrituras
As Escrituras do Antigo e Novo Testamento foram dadas por inspiração de Deus, e constituem a única e suficiente regra de autoridade de conhecimento, de fé e da obediência salvadores.

2. Deus
Há somente um Deus, o Criador, Preservador e Governador de todas as coisas, que tem em si, e por si mesmo todas as perfeições, sendo infinito em todas elas, e todas as criaturas lhe devem amor, reverência e obediência.

3. A Trindade
Deus se revela a nós como Pai, Filho e Espírito Santo cada um com atributos pessoais distintos, mas sem divisão de natureza, essência e ser.

4. Providência
Deus desde a eternidade decreta e permite todas as coisas que ocorrem, e sustenta, dirige e governa perpetuamente todas as criaturas e todos os eventos; mas, sem ser de algum modo o autor, ou cúmplice do pecado, de modo que viesse a destruir a livre vontade e responsabilidade das criaturas inteligentes.

5. Eleição
A eleição é a escolha eterna que Deus faz de pessoas para a vida eterna – não por causa de algum mérito que Deus tenha visto de antemão nelas, mas, por causa de sua misericórdia em Cristo – como conseqüência do qual são chamados, justificados e glorificados.

6. A Queda do Homem
Deus originalmente criou o homem a Sua própria imagem, livre do pecado; mas, pela tentação de Satanás, o homem transgrediu o mandamento de Deus, caiu do seu estado original de santidade e justiça; por causa disso, a sua descendência herdou uma natureza corrupta e completamente oposta a Deus e a Sua lei, estando sob condenação, e assim, como são capazes de ação moral, tornam-se atuais transgressores.

7. O Mediador
Jesus Cristo, o Filho de Deus, é o mediador divino designado entre Deus e o homem. Tendo assumido para Si a natureza humana, mas sem pecado, Ele cumpriu perfeitamente a lei, sofreu e morreu na cruz pela salvação de pecadores. Foi sepultado, e ressuscitou ao terceiro dia, e ascendeu a Seu Pai, cuja destra está para interceder pelos Seus. Ele é o único Mediador, o Profeta, Sacerdote e Rei da Igreja e Soberano do Universo.

8. Regeneração
A Regeneração é uma mudança de coração, produzida pelo Espírito Santo, que dá vida ao que está morto em delitos e pecados, iluminando as suas mentes salvadora e espiritualmente para entender a Palavra de Deus, e renovando toda a sua natureza, de modo que possam amar e praticar a santidade. Isto é obra unicamente da livre e especial graça de Deus.

9. Arrependimento
O arrependimento é uma graça evangélica, dentro de uma pessoa que pelo Espírito Santo lhe sensibiliza a respeito de sua natureza ímpia e de seu pecado, para que se humilhe por esta causa, com dor genuína, aborrecimento disto, e auto-aversão, com o propósito e meta de mudar de caminho diante de Deus, para agradar-lhe em todas as coisas.

10. Fé
A fé que salva é o crer, de todo coração, no que pela autoridade de Deus está revelado em Sua Palavra acerca de Cristo; aceitando e confiando somente nEle para justificação, e a vida eterna. Esta fé é forjada no coração pelo Espírito Santo, e vem acompanhada por todas as outras graças salvadoras, e leva a uma vida de santidade.

11. Justificação
A justificação é a completa e graciosa absolvição, que Deus dá aos que crêem em Cristo, de todo o pecado, por meio da satisfação que Cristo fez; não por coisa alguma que tenham realizado, ou que tenha se encontrado neles; mas, por causa da obediência e satisfação de Cristo, recebem esta justificação e descansam nEle, e em Sua justiça pela fé.

12. Santificação
Aqueles que foram regenerados, também são santificados, pela palavra de Deus e pelo Espírito que habita neles. Esta santificação é progressiva por meio do poder de Deus, a qual todos os santos buscam obter, esperando uma vida celestial em cordial obediência a todos os mandamentos de Cristo.

13. Perseverança dos Santos
Aqueles a quem Deus aceitou no Amado, e santificados por Seu Espírito, nunca cairão total, ou finalmente do estado de graça, mas, certamente perseverarão até o fim; e, ainda que lhes seja possível cair em pecado, por negligência e tentação, entristecendo o Espírito e deteriorando as suas graças e consolo, trazendo a reprovação para a Igreja, e juízo temporal sobre si mesmos, serão levados a um novo arrependimento, e mantidos pelo poder de Deus por meio da fé para a salvação.

14. A Igreja
O Senhor Jesus é a Cabeça da Igreja que compõe de todos os seus verdadeiros discípulos, e nEle está investida de supremo poder para o seu governo. De acordo com este mandamento, os cristãos devem se associar em sociedades particulares ou igrejas; e, a cada uma destas igrejas Ele dá autoridade necessária para administrar esta ordem, disciplina e adoração que Ele exige. Os oficiais regulares de uma Igreja são os bispos, ou anciãos, e diáconos.

15. Batismo
O Batismo é uma ordenança do Senhor Jesus, obrigatória a cada crente, no qual é imerso em água em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, como um sinal de sua participação na morte e ressurreição de Cristo, da remissão de pecados, e do oferecimento de sua vida ao Senhor, para viver e caminhar em nova vida. É um pré-requisito para a comunhão da Igreja e participar da Ceia do Senhor.

16. A Ceia do Senhor
A Ceia do Senhor é uma ordenança de Jesus Cristo, para ser administrada com os elementos do pão e vinho, e que deve ser observada por suas igrejas até o fim do mundo. Não é em nenhum sentido um sacrifício, mas está designada para comemorar a sua morte, para confirmar a fé, e outras graças dos cristãos, e para ser um meio de união e renovação de sua comunhão com Ele e também da sua igreja.

17. O Dia do Senhor
O dia do Senhor é uma instituição cristã de observância regular, e deve ser usada para a adoração e devoção espiritual, tanto pública como privada, descansando das atividades mundanas e diversões, excetuando as obras de misericórdia e necessidade.

18. Liberdade de Consciência
Deus somente é o Senhor da consciência, e Ele a deixou livre das doutrinas e mandamentos de homens, que sejam de alguma forma contrárias a Sua palavra, ou que não estejam contidos nela. Como os magistrados civis são ordenados por Deus, se lhes deve submissão em tudo o que seja legal, não somente pela punição, mas por causa da consciência.

19. A Ressurreição
Os corpos dos homens depois da morte voltam ao pó, mas os seus espíritos retornam imediatamente a Deus – os justos para descansar com Ele; os ímpios, para serem reservados em trevas para o juízo. No dia final, os corpos dos mortos, tantos justos como injustos, serão ressuscitados.

20. O Juízo
Deus determinou um dia, no qual julgará ao mundo por meio de Jesus Cristo, quando cada um receberá de acordo com as suas obras: os ímpios irão ao castigo eterno, e os justos para a vida eterna.


Extraído do Apêndice de James P. Boyce, Abstract of Systematic Theology, edição de 1887.

Tradução livre:
Rev Ewerton B Tokashiki

11 comentários:

Clóvis disse...

Pr. Ewerton,

E estes Princípios ainda não são mantidos na prática?

Em Cristo,

Clovis
Editor do Cinco Solas

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Clóvis

Pelo pouco que sei este histórico Seminário Teológico Batista surgiu como um referencial do Calvinismo Batista do Sul, mas no inicio do século XX caiu nas mãos dos liberais e arminianos, e, como conseqüência esvaziou, quase fechando as portas.

Mas, graças a Deus, a Board e Trusts do Seminário resolveram voltar as bases, e atualmente eles têm como presidente e professor o Dr Albert Mohler Jr., que é um referencial entre os batistas calvinistas do Sul dos EUA. Recentemente a Editora Fiel publicou dele o livro ATEÍSMO REMIX.

Caso você queira ver os mesmos principios no site do SBTS acesse http://www.sbts.edu/about/truth/abstract/ .

Um abraço,
Pr Ewerton

Anônimo disse...

Levando em consideração esses principios, apresentados pelo STB, creio que apartir de agora deixam de ser "primos" (como nos chamam) e passam a ser irmãos em Cristo, proféssos da mesma Fé.
Paulo Silva

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Paulo

Desde a minha adolescencia ouço essa brincadeira recípocra de chamarmos de "primos" [rsrsrsrsrs]. Mas, creio que os nossos irmãos batistas, especialmente os de linha histórica, estão retornando vagarosamente para a sua origem Calvinista. Especialmente pelo movimento chamado "Neo-Calvinismo".

Conheço vários líderes batistas, desde jovens livre-escritores até pastores atuantes que estão coerentemente abrançando as Doutrinas da Graça. Certamente a Editora Fiel tem contribuido muito, mas vídeos no youtube [legendados ou não] de pregadores batistas calvinistas dos EUA é um reforço nesta virada teológica.

Deus continue realizando a Sua graciosa obra em convencê-los em sua Palavra.

Leonardo Martins disse...

A graça e paz de Jesus,

Não vejo razão para tantas divisões entre os evangélicos. Digo aqueles que não abandonaram suas raízes históricas. Por isso entendo que devemos nos manter fiéis a Cristo e as nossas memórias. Também vejo que passamos muitos anos discutindo sobre doutrina em vão. Ninguém foi edificado com essas discussões.
Entretanto, não tenho a menor ideia de onde vem esta informação “Conheço vários líderes batistas, desde jovens livre-escritores até pastores atuantes que estão coerentemente abraçando as Doutrinas da Graça”. Sim nós batistas estamos passando por sérias dificuldades, inclusive doutrinária, mas dizer que estamos nos afinando doutrinariamente para mim é novo.
Penso que o Evangelho deva ser pregado, acima de tudo, e é tolice discutir doutrina. Mas entendo que cada um deve ser coerente com seus princípios.
Os princípios batistas estão aí para quem quiser ver. Acho que houve um engano. Se “corentemente” significa concordar doutrinariamente, então temos uma outra crise que eu desconhecia. Mas pode ser que realmente ela exista e eu não saiba.

No amor de Jesus,

Leonardo Martins.

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Leonardo

Tbém não vejo necessidade de dividir institucionalmente o Corpo de Cristo. Espiritualmente somos uma unidade indivisível. Mas, conhecendo um pouco de História da Igreja entendo os motivos, embora não concorde com a maioria deles.

Deixo bem claro que amo os irmãos de identidade Batista. Tenho amigos que são pastores e membros e colegas de mestrado [teologia] de sua denominação, e zelo pela boa manutenção da nossa amizade. Em 2003-2005 ajudei no inicio de um Seminário Batista aqui em Rondônia, trabalhei como professor, suprindo áreas importantes desta instituição e até mantenho amizade com ex-alunos que são pastores e com a direção do Seminário.

Não sei o que o senhor quis dizer por "afinando", mas ratifico que, graças a Deus, os Batistas, especialmente os de linha histórica ou tradicionais - CBB - estão retornando à sua origem Calvinista. Embora seja verdade que em número pequeno ainda, mas crescente.

sugiro ao irmão que leia um artigo do Pr Franklin Ferreira sobre a "origem dos batistas". Leia a Confissão de Fé Batista de 1689 [o primeiro documento doutrinário] bem como a primeira declaração doutrinária batista no Brasil que era adotada pelos missionários batistas americanos que vieram e implantaram a sua denonimação em nosso país, o nome dela é Confissão de Fé Batista de New Hampshire. Creio que o irmão precisa conhecer a preciosa história da sua igreja para entender o que está acontecendo com ela.

O que é ser batista? O é a identidade Batista?

um abraço,
Pr Ewerton

Osmar Neves disse...

Rev. Ewerton Tokashiki e amigos, por favor permitam-me compartilhar com vocês uma grande alegria:

Finalmente foi lançado o 1° livro em português do filósofo calvinista Gordon Clark, "Em Defesa da Teologia"
http://www.editoramonergismo.com.br/index.php?page=shop.product_details&category_id=15&flypage=flypage.tpl&product_id=187&option=com_virtuemart&Itemid=71

Um exemplo do fino humor do Clark: "Por fim os leitores serão instados a chegar às próprias conclusões; uma maneira polida de dizer que o autor espera que concordem com ele" (pág. 17 e 18)

Obrigado e espero que leiam essa maravilhosa obra!

Osmar Neves, Padre Bernardo-GO em 13/02/2010

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Osmar

Apesar de tê-lo em inglês, decidi adquirir um pela Editora Monergismo junto a outros livros.

Excelente material, espero no Senhor que os estudantes e teólogos brasileiros descubram este inestimável pensador.

Isaias Medeiros disse...

Olá

Uma postagem muito interessante, assim como o restante do blog. Parabéns pelo seu trabalho, já estou sendo seu seguidor.

Se também desejar me visitar, conhecer minhas idéias, trocar links ou seguir meu blog, visite:

Um pouco além do óbvio.

Abraço.

N'Ele, a autoridade máxima em matéria de salvação.

Ewerton B. Tokashiki disse...

Caro Isaias Medeiros
Seja sempre bem vindo! Deus o abençoe.

Ewerton B. Tokashiki disse...

Aos que se interessarem em ler a história do Southern Baptist Theological Seminary, desde a sua fundação, desenvolvimento, desvio e restauração, recomendo o excelente livro:

WILLS, Gregory A., Southern Baptist Theological Seminary 1859-2009 (New York, Oxford University Press, 2009), 566 págs.

O Dr. Gregory A. Wills é professor de História da Igreja nesta instituição. Dei uma olhada nele hoje, e fiquei admirado como Deus, soberanamente restaurou toda uma instituição da apostasia teológica neo-ortodoxa, e fê-la retornar à perspectiva histórica e calvinista, sob a presidência do Dr. R. Albert Mohler. A minha oração é que o Senhor faça o mesmo com os irmãos batistas brasileiros.